Limpar, desinfetar, esterilizar!

Limpar, desinfetar, esterilizar!

Limpar, desinfetar, esterilizar! Saber a diferença para garantir a higiene dos ambientes e dos objetos nas mias diversas áreas de atuação.

Limpar

Ao ato de remover fisicamente a sujidade, detritos ou microrganismos, chamamos limpeza, tanto em espaços como em objetos.

Pode ser feita por métodos químicos recorrendo a detergentes ou através de equipamentos como aspiradores, panos ou rodos, ao qual chamamos limpeza mecânica.

Inicie a limpeza dos locais mais limpos para os mais sujos e evite varreduras a seco por forma a não transportar pó ou outros microrganismos 

Para passar às etapas de desinfeção e esterilização, a etapa da limpeza é fundamental e imprescindível uma vez que os desinfetantes como álcool ou clorados ficam inativados na presença de matéria orgânica.

A limpeza deve ser feita em processos gerais, sempre que for necessário uma limpeza de utensílios, móveis, pisos ou paredes.

Desinfetar

A desinfeção prevê a destruição de microrganismos através de desinfetantes. Contudo, e apesar de matar mais vírus, fungos e bactérias que a limpeza, não elimina microrganismos adormecidos.

O processo de desinfeção deve ser utilizado em locais onde encontramos uma maior acumulação de bactérias, como toalhas de banho, pias de cozinha, sanitas, etc. 

Esterilizar

Na esterilização todas as formas de microrganismos, em qualquer estado, são eliminados.  Este processo é feito através de agentes físicos ou químicos fortes. 

A esterilização é normalmente feita em SPA’s, cabeleireiros, esteticistas, hospitais, clínicas e em todos os outros locais onde existam materiais que vão entrar em contacto com a pele ou sangue, como lojas de tatuagens ou body piercing. 

Fontes:
World Wide Web
DPL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.